Erros graves na lígua portuguesa

Saber escrever é saber comunicar. Erros de português e textos mal escritos podem causar uma péssima impressão, perante os mais diversos públicos.
Não pense que seu cliente irá relevar pequenos errinhos de português ou de digitação. Uma comunicação mal-apresentada significa muito mais do que a falha em si. Ela pode ser um fator que altera a percepção do cliente sobre sua empresa, o cuidado que você toma ao divulgar informações, a sua atenção aos detalhes..
Erros gramaticais e ortográficos devem, por princípio, ser evitados. Alguns, no entanto, como ocorrem com maior freqüência, merecem atenção redobrada. O primeiro capítulo deste manual inclui explicações mais completas a respeito de cada um deles. Veja os cem mais comuns do idioma e use esta relação como um roteiro para fugir deles.

1 – “Mal cheiro”, “mau-humorado”. Mal opõe-se a bem e mau, a bom. Assim: mau cheiro (bom cheiro), mal-humorado (bem-humorado). Igualmente: mau humor, mal-intencionado, mau jeito, mal-estar.

2 – “Fazem” cinco anos. Fazer, quando exprime tempo, é impessoal: Faz cinco anos. / Fazia dois séculos. / Fez 15 dias.

3 – “Houveram” muitos acidentes. Haver, como existir, também é invariável: Houve muitos acidentes. / Havia muitas pessoas. / Deve haver muitos casos iguais.

4 – “Existe” muitas esperanças. Existir, bastar, faltar, restar e sobrar admitem normalmente o plural: Existem muitas esperanças. / Bastariam dois dias. / Faltavam poucas peças. / Restaram alguns objetos. / Sobravam idéias.

5 – Para “mim” fazer. Mim não faz, porque não pode ser sujeito. Assim: Para eu fazer, para eu dizer, para eu trazer.

6 – Entre “eu” e você. Depois de preposição, usa-se mim ou ti: Entre mim e você. / Entre eles e ti.

7 – “Há” dez anos “atrás”. Há e atrás indicam passado na frase. Use apenas há dez anos ou dez anos atrás.

8 – “Entrar dentro”. O certo: entrar em. Veja outras redundâncias: Sair fora ou para fora, elo de ligação, monopólio exclusivo, já não há mais, ganhar grátis, viúva do falecido.

9 – “Venda à prazo”. Não existe crase antes de palavra masculina, a menos que esteja subentendida a palavra moda: Salto à (moda de) Luís XV. Nos demais casos: A salvo, a bordo, a pé, a esmo, a cavalo, a caráter.

10 – “Porque” você foi? Sempre que estiver clara ou implícita a palavra razão, use por que separado: Por que (razão) você foi? / Não sei por que (razão) ele faltou. / Explique por que razão você se atrasou. Porque é usado nas respostas: Ele se atrasou porque o trânsito estava congestionado.

Vejam mais no site clicando aqui

Anúncios

5 respostas em “Erros graves na lígua portuguesa

  1. Oi Lu,
    Demorei, mas vim deixar meu recado aqui.
    A língua portuguesa é cheia de pegadinhas mesmo. É quase impossível acertarmos sempre. Em compensação, ela nos faz ser mais atentos, cuidadosos, preocupados.
    Ah, e pra não esquecer: seu blog está ótimo. Parabéns. Mesmo sem meus comentários, estou sempre passando por aqui.

    beijos

  2. Oi, muito bom, eu amo a língua portuguesa e sempre estou buscando novidades
    por isso vou sempre visitar esta página, não falo e escrevo tudo certo, o português é realmente muito complicado, cheio de pegadinhas, mas tenho observado erros gravíssimos muitas vezes de pessoas graduadas, fico pasma.
    Beijos

  3. Lu, que emocionante.
    Coloquei no google os termos: Comunicação e paixão e achei o seu blog como o primeiro da lista.
    Isso significa que vc deveria reativá-lo.
    Volta Lu, please..rs
    Espero que leia esse recadinho.
    Um beijo carinhoso

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s